Facebook


Pesquisar no blog

terça-feira, 25 de julho de 2017

O IRMÃO DO BEATO SALU

 
 

Quem consegue, ainda, acompanhar B&B deve ter percebido que minhas postagens estão se tornando mais raras e inconstantes.

As razões são muitas....
 

 1) Escrever, seriamente, sobre vinhos, no Brasil, corresponde a organizar uma palestra sobre probidade, patriotismo, seriedade e honestidade para políticos do nosso país (na platéia uma meia dúzia de participantes).
 

2) A quantidade de "especialistas" que descobriram e escrevem sobre o vinho é assustadora e a cada dia aparecem mais e mais deles.

3) Não posso ter um público numeroso se escrevo sobre "Vide Bourse", "Blanchot Dessus", "Dents Chien", "Sussumaniello", "Spigau" etc.: A probabilidade dos leitores conhecerem estes vinhos é quase zero e percebi, finalmente, que estou postando para demonstrar, apenas, conhecimentos elitistas.
 
 

4) Estou de saco cheio.

O pouco interesse e o saco cheio limitaram minhas intervenções no blog, mas a total falta do que fazer me ajudou a encontrar "pérolas" que passariam despercebidas anteriormente.

Semanalmente leio e releio blogs italianos e franceses para me manter informando sobre o importante e verdadeiro mundo dos vinhos.

 Uma das páginas que frequento regularmente é "Intravino".

 Foi, justamente, no "Intravino" que encontrei um "irmão" do nosso "melhor sommelier", também conhecido por suas habilidades em escalar cruzes medievais, Manoel Beato Salu.
 

Acredito nunca ter encontrado alguém mais fantasioso e ridículo do que o palhaço do Fasano e Cia., mas estava enganado: Andrea Gori dá um banho no clown dos Jardins.

Leiam, por favor, um trecho do Gori comentando o "Dom Perignon" 2000 e entenderão como me sinto ridículo, inútil, superficial e dispensável descrevendo vinhos.
 

"... Ao mesmo tempo, porém, o "P2 2000" possui uma força solar magnética e explosiva que seduz e conquista; uma espécie de tônico que enriquece e rejuvenesce qualquer um que o beba.

Uma "Dom-definição" que consolida, na taça, detalhes que antes eram apenas perceptíveis: o floral amarelo, o pêssego de montanha, notas de ostras e opulência de especiarias: baunilha, café, nozes carameladas, mas que aparecem apenas no primeiro gole.
 

Em seguida explode, literalmente, uma cremosidade inusitada, amplitude grandiosa, permanência longa e transbordante e um final rico, festivo, onde o lime, leve defumado e algas "nori" se agitam para realçar uma maturidade na qual aparecem, também, notas tropicais de manga e ananás.
 

Como em uma suspensão temporal, o gole, ainda revela sulcos profundos, sensação de gesso no paladar e nunca há segurança de quando o vinho abandonará nossa boca.

Nada disso importa, afinal, porque terminamos a viagem e mergulhamos, por alguns segundos, na juventude do 2000 e extraímos todos os elementos positivos, depurando, como numa bela recordação, todos os elementos negativos e obscuros"

Ostra, algas nori, gesso, nozes carameladas, pêssego de montanha, suspensão temporal.......

Gori, quer saber de uma coisa?

VÁ À MERDA.

Bacco

21 comentários:

  1. Ja que voce estragou meu dia, vou tentar estragar o seu: Esse cretino me lembra nao so o Manuel Tropeco, mas o Gledson Salame e a Dilma (ambos de tristes memorias) tentando dar de sommerdiere. Sobra picaretagem.

    Que disposicao...

    ResponderExcluir
  2. tragam uma camisa-de-força para esse Andrea, por favor...

    ResponderExcluir
  3. Bem feito! Quem mandou vocês lerem B&B?

    ResponderExcluir
  4. Carácoles! Este cara também é bom. Mas vejam os comentários sobre um vinho tinto que um cidadão de origem espanhola fez no "Cellartraque":

    Color granatoso oscuro, ribete granate ligeramente atejado, capa alta, fina lágrima suavemente tintada. Notables aromas en nariz de fruta roja (grosellas rojas) y negra madura (moras y arándanos negros), toques curiosos de coles de Bruselas a medida que gana temperatura, anecdóticas notas chorizo criollo y chistorra caliente, pimienta roja y de Sichuán en granos, los tostados de la barrica bien entregados en el conjunto y pulidos, ligeramente cremosos, pimientas en granos, cueros húmedos, eucalipto seco, hierbas mediterráneas frescas algo secas, suave toque de raíz de regaliz de fondo. Notable entrada en boca y fina astringencia, buen recorrido de cuerpo medio y poco nervio, ligeramente goloso con toques especiados, muy buena acidez, intenso, sabroso, fruta negra madura bien carnosa, amable, elegante, envolvente, tostados pulidos y taninos dulzones, buena amplitud, suave estructura y bien persistente. Final bien largo, postgusto de fruta del bosque madura y retronasal especiado.

    É do mesmo time.

    ResponderExcluir
  5. Como o mundo do vinho se tornou um campo fértil para plantar sandices e colher idiotices

    ResponderExcluir
  6. Eu leio seu blog, aliás hoje é o único que leio, até confesso que sinto falta de mais postagens. Leio seu blog pelos mesmos motivos que escreve pouco, e ainda porque aqui leio críticas, coisas sinceras e não puxação de saco e egocentrismos.
    Mas agora tenho uma notícia interessante sobre o mundo do vinhos...temos um novo talento senhores, um novo sommerdier capaz de achar tamanhas pérolas em um vinho nacional, aliás, o fulano, é um entusiasta do vinho nacional, principalmente das grandes predadoras, vejam só:
    Dica na ��: Era dos Ventos Ícone Merlot, safra 2012, Caminhos de Pedra, Brasil.
    (...)Nariz é marcante, fruta vermelha vibrante, fresca, ameixas, romãs, framboesas, toque floral de alfazemas, especiarias secas, nota de terra compactada, mineral de basalto ou pó de pedra, envoltos por um fundo de moca. Nota: (93 MM)

    E o melhor de tudo é que ele dá nota, seria o Robert Parker de bombachas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esse maluco estava sob efeito de pó e pedra quando achou "pó de pedra" no vinho, só pode

      Excluir
  7. Pqp!!!! Mais um nariz premiado pelos deuses.picareta de mão cheia

    ResponderExcluir
  8. Emerson Ramos Cassiano26 de julho de 2017 09:02

    Devo dizer que devo muito ao Sr. Dionísio, porque bebo vinho há pouco tempo, têm uns oito anos, tenho melhorado, já tomei muito lixo mas ainda estou longe do conhecimento dele, óbvio, mas o meu alento foi perceber que por eu nunca ter percebido, ostras, gessos, pêssegos do kilimanjaro, ameixas plantadas por derviches dançantes da turquia não tenho problemas com meu nariz e meu paladar, OBRIGADO DIONÍSIO.

    ResponderExcluir
  9. ooooh loco mew segura essa fera ai.. O cara fez uma feijoada no vinho.

    ResponderExcluir
  10. Para com essa conversinha de desanimo e self-pity por conta do elitismo e falta de gente que comprrende o que escreve. Eu nao me vejo tomando varios desses vinhos raros por muitas questoes...culturais, logisticas e linguistas ate, mas iss nao nos impede de aprendermos, refletirmos, passarmos raiva, etc etc.

    Se quisesse numero, Bacco, o "sumido" bocca e Di nao teria tido esse estilo desde o comeco. Ha boa qualidade nos seus leitores. Eu melhorei com as perolas que li aqui esses anos. Perolas oriundas de ostras com perfeita simetria, ostras com aroma de ourico submarino, brancas como lencol de motel na via dutra, redondas como uma lagrima que desce pela taca do vinho fezes chardonnay... untuosas como a manteiga de normandia que emana do decanter do meu miolo more calote 43...

    Andiamo, peste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "brancas como lençol de motel na via dutra"

      que poeta, esse roedor...

      Excluir
    2. Não é "self-pity" e muito menos números, mas , provavelmente, falta de novos assuntos e perceber minha impotência para poder influenciar a mentalidade dos enófilos. Para cada "convertido" vejo dez aderindo e elogiando o Galvão Bueno.....é dose

      Excluir
    3. Ah writer's block, que classico. Os artigos de voces em grande maioria sao para reler algumas vezes. Que se exploda se nao tem pao quente toda hora. Eu me preocuparia mais com o nivel do que com a frequencia. Ninguem aqui he pago mesmo para fazer isso...nem leva alguma vantagem financeira.

      Ja ja passa, isso. Sempre havera um paspalho achando ourico em vinho, subindo em cruz medieval, vendendo vinho nacional de catalao por uma fortuna, promovendo vinho em troca de algo fingindo ser isento e por ai vai.

      Toma uma garrafa de fezes chardonnay geladinho na praia que desentope as arterias na cabeca e a motivacao de ambos volta com tudo.

      Excluir
    4. E por falar nisso, vocês vão no Rock in Rio?
      http://www.eu-gourmet.com/2017/07/lidio-carraro-e-vinicola-escolhida-para.html

      Excluir
  11. http://istoe.com.br/operacao-combate-fraudes-na-embrapa-uva-e-vinho-da-serra-gaucha/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a primeira vez que vejo algo inteligente no mundo do vinho nacional. Vamos aguardar as próximas notícias.

      Excluir
    2. Ai jesuis, ate que enfim alguem resolveu fazer algo. Vai ver a propina estava muito cara e decidiram jogar uva fraudada no ventilador. A primeira coisa que se aprende quando se esta no RGS he que a conta "uvas produzidas divididas por garrafas produzidas" nunca fecha, nem com inri cristo multiplicando os vinhos...transformando minuano em vinho, etc.

      Mais uma vergonha para a colecao "brasileiro he criativo, flexivel".

      Excluir
  12. Tenho uns 10 anos de experiência bebendo vinhos de todos os lugares e regiões, mas onde eu aprendi mais foi aqui, não perca as esperanças, você faz diferença.

    ResponderExcluir
  13. Vocês são gênios!

    ResponderExcluir